Saturday, March 24, 2012

Poema fácil de ler

LIVRO

Livro, amigo sempre aberto
Ao meu olhar temerário,
Sem protestos, sempre perto,
Nem feriado, nem horário.

Inquieto corro ao prelo
Meu amigo procurar,
Nobre sempre, mas singelo,
Tudo o que tem, me quer dar.

Letras, símbolos, figuras,
Amor, ódio, compaixão,
Fantasias e ternuras
Tudo põe na minha mão.

Tão fiel e bom amigo
De mim diz que até gostou,
Mas partilharei contigo
Este livro, que te dou.

( Alberto Nobre, Visitei a Tetralândia, Porto, 2012 )

No comments: